fbpx

Muito treino e vontade – Oscar Schmidt

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email

As lições do esporte podem ser copiadas em qualquer atividade. Trabalho em equipe, com cada um fazendo seu melhor para a vitoria, essa é a melhor lição de todas.

Matéria publicada na revista Parcerias do Bem, ed.outubro/2009
Texto: Cris Oliveira

Oscar Schmidt

Oscar Schmidt

Oscar Schmidt ocupa lugar privilegiado no mundo do basquete. É o jogador que mais fez pontos, sendo que em 25 anos atuando como profissional em clubes do Brasil, Itália e Espanha, além da Seleção Brasileira, contabilizou 49.737 pontos. Carrega também o título de maior cestinha do Campeonato Brasileiro e das Olimpíadas, onde, em cinco participações fez 1093 pontos.

Diante desta realidade ele conquistou o apelido de “Mão Santa”, mas ele é avesso a denominação, e garante que deveria chamar “Mão Treinada”.  Sua rotina de treinamentos incluía, após as atividades diárias com o time, mil arremessos. E ele garante que, só terminava a série quando acertava 20 chutes de três, consecutivos. Com a inconfundível camisa número 14, ele foi: tricampeão Mundial de Clubes, campeão Sul-americano.

Parcerias do Bem – Acredita que com treino qualquer pessoa pode se tornar um bom atleta do basquete? Ou é preciso ter vocação?

Oscar Schmidt – Qualquer um pode vencer através da repetição, em qualquer atividade, basta querer de verdade. Talento se constrói, ninguém nasce para fazer alguma coisa, nós temos é que encontrar aquilo que gostamos de fazer e nos dedicar ao máximo.

PB – Para fazer quase 50 mil pontos, como era sua rotina diária de treinamentos?

OS – Treinava, treinava e treinava. E quando estava bem cansado… treinava mais um pouquinho.

PB – Qual foi o jogo inesquecível da sua vida? Por quê?

OS – O Pan de 87 contra os Estados Unidos. Foi a primeira vez que eles perderam dentro de casa e primeira vez que alguém fez mais de 100 pontos numa seleção americana. Fizemos logo 120, para ficar com 20 de troco, ninguém acreditava na gente, nem a gente.

PB – Que tipo de experiência você trouxe do esporte, para sua vida cotidiana?

OS – A de que não se consegue nada sozinho, nada.

PB – O Oscar se aposentou nas quadras, mas segue trabalhando pelo esporte. Como é sua rotina de trabalho hoje?

OS – Faço palestras pelo Brasil e trabalho para a TV Record, tenho uma rotina bem cheia.

PB – Em relação as palestras que ministra, como é possível relacionar o esporte ao ambiente corporativo?

OS – As lições do esporte podem ser copiadas em qualquer atividade. Trabalho em equipe, com cada um fazendo seu melhor para a vitoria, essa é a melhor lição de todas.

PB – Na sua opinião, o que falta para que a atual geração de jogares de basquete, volte a ter o respeito que já teve.

OS – Comprometimento com a seleção. As vezes eles se esquecem que representam 200 milhões de pessoas, as vezes eles fazem pouco caso da seleção, pensam que a seleção não os merece.

O post Muito treino e vontade – Oscar Schmidt apareceu primeiro em Parcerias do Bem.

Uma resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Assine nossa Newsletter

Receba novidades

Mais para explorar

e-Books

e-Book 20 Otimizações em Facebook Ads

Melhorando suas campanhas no Facebook Neste eBook, focado principalmente no Facebook Ads, traremos algumas dicas intermediárias e avançadas para você criar suas campanhas (ou otimizar

e-Books

e-Book Introdução ao Marketing no Facebook

Explorando novos caminhos digitais No mundo do marketing e dos negócios, existe uma metodologia revolucionária que exemplifica um pouco dessa tendência de transmutação. Ela se

Deseja impulsionar o seu negócio?

Fale com a Pericoco

Vamos conversar

Saiba como ajudamos mais de 50 empresas a obter sucesso.