O top five do RD Summit e mais algumas coisinhas

O top five do RD Summit

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email

O RD Summit é considerado o maior evento de marketing e vendas da América Latina, e sua edição de 2019, a primeira em que participei, aconteceu entre os dias 06 e 08 de novembro.

Também tive a oportunidade de estar no Partner Day, que reuniu agências parceiras no dia 05.

O palco do RD Summit é a cidade de Florianópolis, e as coisas acontecem como uma avalanche. Tudo é muito e em alta velocidade, e se você não estiver atento acaba sendo soterrado.

É gente demais (12 mil pessoas), uma quantidade absurda de informações em vários segmentos, filas enormes (mas que andam relativamente rápido) e é preciso destacar: uma organização surpreendente.

Fiquei feliz com a educação dos participantes. Não vi gente furar fila, desrespeitar o colega (embora sempre tenha um sem noção) e todos os espaços sempre muito bem compartilhados.

Sim, vale a nota 10 para a estrutura, mas uma ressalva: a estrutura deficitária de banheiros físicos, complementada com os banheiros químicos, que não são a coisa mais higiênica e confortável do mundo.

O top five do RD Summit

Mas vamos falar das palestras. Eu priorizei duas trilhas: desenvolvimento pessoal (porque acredito que quando a gente melhora o mundo também ganha) e histórias que inspiram (sou jornalista, né?), mas também assisti algumas palestras mais técnicas, direcionadas especialmente a produção de conteúdo.

Disso tudo escolhi o “top five”, embora tenha sido bem difícil devido a qualidade e diversidade. Priorizei o que mais fez sentido pra mim e deixo abaixo de forma aleatória.

Simone Freire, idealizadora do movimento Web Para Todos, me fez ir as lágrimas, que teimam em querer brotar cada vez que conto essa experiência.

Ao mostrar o pungente mercado a ser explorado, ferramentas que tornam sites, blogs, lojas virtuais e afins, acessíveis àqueles que apresentam as mais diversas necessidades especiais, deixou claro que tem muita gente perdendo dinheiro por não saber se comunicar com esse público enorme.

Mas o que me tocou mesmo foi a vivência proporcionada por ela: na abertura da sua palestra, Simone exibiu um pequeno vídeo em libras, sem som ou legenda. Ao perguntar quem havia entendido, ninguém levantou a mão.

Ao final ela voltou a exibir o vídeo, então com uma legenda, e novamente perguntou quem tinha entendido, e então todos levantaram a mão. Eis que ela diz: viu só, com uma simples legenda todos foram incluídos. Sabe, me acho bastante empática, mas quando vivo esse tipo de coisa vejo que ainda tenho muito para aprender.

Dicas de ouro

Paulão do vôlei compartilhou sua história de menino que veio de família humilde e iniciou no esporte usando um conga com palmilha de papelão, mas que no dia 09 de agosto de 1992 chegou ao ápice quando conquistou o ouro olímpico.

Mais emocionante que ouvi-lo foi poder segurar nas mãos uma medalha olímpica, que para ser conquistada teve um longo caminho percorrido. Tive a sensação de voltar à adolescência e reviver novamente aquele jogo da vitória, que assisti pela TV.

A americana Ann Handley é co-fundadora do MarketingProfs além de best seller no Wall Street Journal com dois livros: Everybody Writes: Your Go-to Guide to creating Ridiculously Good Content e Content Rules.

Uma mulher de puro carisma, que agitou o público com um papo extremamente didático e divertido sobre funil de vendas. Uma das dicas de ouro deixadas por ela é que: ao invés de buscar a atenção das pessoas é preciso buscar a confiança delas.

Inteligência

Para os produtores de conteúdo, algo bastante em alta durante o evento foi a importância dos áudios. Uma das palestras que eu destaco é a de Albert Hayfaz que alertou que “o áudio é a comunicação mais natural que a gente tem, mas o texto ainda prevalece nas estratégias de conteúdo”.

Ele também pontuou que a marca que não oferece áudio, nem está na briga quando uma pessoa entra no carro ou está passeando com o cachorro, por exemplo, que são momentos em que não dá pra ler.

Verônica Ahrens falou sobre inteligência emocional e o quanto ela pode impactar decisivamente nossa vida, afinal está entre as 10 competências que um profissional vai precisar ter em 2022.

Ao fechar sua palestra ela fez uma reflexão que compartilho aqui: no primeiro dia passei na rua, tinha um buraco, não vi e caí; no segundo dia passei na rua, tinha um buraco, vi mas mesmo assim caí; no terceiro dia passei na rua, vi o buraco e desviei; no quarto dia mudei de rua.

Extra, extra

Bônus: tive que criar um tópico extra (e quase que começo a enumerar vários bônus) para citar a apresentadora Maisa Silva e o CEO do SBT José Roberto Maciel. Ver uma menina de 17 anos, já criada na era digital mas que se tornou famosa graças ao trabalho televisivo, falar com tanta autonomia sobre o mercado da comunicação é, no mínimo, curioso.

Com mais de 27 milhões de seguidores no Instragram, sabe convertê-los e influenciá-los. Já Maciel falou sobre como o SBT tem se comportado, sendo uma rede de TV aberta que deixou de ver sua audiência como telespectador, e agora a enxerga como espectador, afinal, não interessa por onde ela esteja acessando.

Faço apenas um adendo para pontuar que, muitas e muitas vezes os palestrantes ressaltaram a importância do olhar para o humano, embora a tecnologia seja tão incrível, eficaz, dinâmico e necessário. Para mim, uma encantada pelas pessoas desde sempre, isso é apenas a reafirmação do que eu acredito ser o maior capital: gente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Assine nossa Newsletter

Receba novidades

Mais para explorar

Deseja impulsionar o seu negócio?

Fale com a Pericoco

Vamos conversar

Saiba como ajudamos mais de 50 empresas a obter sucesso.