Como está a saúde mental do seu colaborador?

como está a saúde mental do seu colaborador

Compartilhe

Infelizmente, conversar sobre a saúde mental – ainda mais em um ambiente coorporativo – ainda é um tabu

Vamos falar a verdade? Trabalhar dá trabalho. É cliente que reclama, é colega que não cumpre o prazo, é retrabalho por falta de comunicação, é cobrança vindo de cima… É muita coisa! Dizem até que “se fosse fácil ninguém te pagaria para fazer”.

É claro que existe a parte boa, se não ninguém trabalharia. O salário é a mais palpável, mas tem ainda a realização profissional, reconhecimento, senso de pertencimento e muitas outras vantagens.

Mas estamos aqui para falar sobre como as dificuldades afetam a saúde mental dos colaboradores.

Aí veio a pandemia…

Para piorar estamos saindo de um quadro de pandemia, que afetou diretamente quem trabalha. Muita gente não se acostumou com home office, houve demissões em vários setores, pessoas acumularam tarefas profissionais com as de casa e o clima de incerteza só cresceu.

E olha esse dado do Superior Tribunal do Trabalho: em 2020, a concessão de auxílio-doença e aposentadoria por invalidez decorrente de transtornos mentais e comportamentais bateu recordes.

Os afastamentos por motivos como depressão e ansiedade registraram a maior alta entre as principais doenças indicadas como razão para o pedido do benefício. Em 2020 foram liberadas 285,2 mil concessões de auxílio doença, um aumento de 37% em relação a 2019.

Falar sobre saúde mental ainda é um tabu

O curioso é que mesmo com tanto esclarecimento sobre os transtornos mentais a maioria dos colaboradores não gostam de admitir que este seja o motivo da licença. Um estudo da Mental Health America mostrou que 70% deles não gostam de falar sobre este assunto com os superiores.

Ou seja, o assunto ainda é tabu. Mas há uma luz no fim do túnel e não é um trem. Campanhas como o Setembro Amarelo (para prevenção do suicídio) e Janeiro Branco (com foco na saúde mental) estão aí para ajudar.

Trabalho remoto: a tendência que veio para ficar. Você está preparado?

Mas talvez estas iniciativas por si só não sejam suficientes para ajudar os colaboradores a ter uma mente equilibrada. A empresa também deve fazer a sua parte.

Olha isso: pesquisa do Instituto Ipsos, mostrou que 91% dos trabalhadores acham que é dever da empresa cuidar da sua saúde mental e também dos líderes.

Veja algumas atitudes que podem ajudá-los!

1 – Conheça seus colaboradores

É claro que você não vai fazer uma inquisição sobre aspectos íntimos da vida de cada um, até porque muitas pessoas se sentem desconfortáveis com isso. Mas durante as atividades da semana é possível perceber sinais como perda da motivação, queda no rendimento, uma “carinha” mais triste nas reuniões (mesmo online), entre outros.

Se a empresa for muito grande uma boa saída é criar uma pesquisa de satisfação (anônima) para garantir a participação de todos sem constrangimentos.

2 – Organize eventos

Muitas empresas aproveitam o “Setembro Amarelo” para falar sobre saúde mental. Então que tal trazer um profissional da área para uma palestra sobre o assunto? Se for presencial melhor ainda pois o relacionamento presencial faz bem, estreita laços e promove a amizade.

3 – Crie um ambiente agradável

Muitos transtornos mentais no trabalho ocorrem pelo excesso de cobranças, falta de reconhecimento e discursos ameaçadores. Além de pode ser caracterizado como assédio moral, este tipo de atitude é contraproducente.  Se observar estes pontos na sua empresa, procure modificá-los. Estabelecer metas é ótimo, e se o colaborador se sentir tranquilo, com abertura para falar e mais à vontade, terá mais facilidade para alcançá-las.

4 – Respeite os limites

Isso pode ser aplicado tanto aos horários quanto para as particularidades de cada um. Não é legal, por exemplo, acionar seu colaborador fora do horário ou não respeitar os dias de folga. Ao seguir o item 1 você também saberá o que cada trabalhador pode entregar e de que forma, além de poder conversar com ele em caso de algum problema.

5 – Tenha canais de comunicação

Muitos colaboradores podem se sentir constrangidos em comunicar problemas de saúde mental para os superiores. Por isso o ideal é que a empresa tenha um profissional para quem ele possa se abrir. Ele não deve ter medo de represálias como ser “tachado de louco” ou de ser demitido. E mais: aqui vale a compreensão de um ser humano para outro. É preciso ter empatia e ajudá-lo a passar por uma fase difícil.

E quais as vantagens de uma boa saúde mental no trabalho?

Aqui é aquele jogo do ganha-ganha. Colaboradores e lideranças com a saúde mental em dia são:

– Mais produtivos;

– Mais criativos;

– Mais motivados;

E mais: além de questões humanitárias, custa bem menos investir na saúde mental do colaborador do que cuidar de um doente. De acordo com a WHO (World Health Organization) a cada US$ 1 investido para isso são retornados US$ 4 com produtividade.

Outra informação importante: a prevenção de doenças psíquicas cria um ambiente de trabalho mais leve, onde todos se sentem valorizados.

Então? Que tal refletir sobre como você está cuidando da saúde mental dos seus colaboradores e da sua?

Fontes pesquisadas:

who.int

ipsos.com

janeirobranco.com.br

setembroamarelo.com

mhanational.org

beerorcoffee.com

persono.com.br

vocesa.abril.com.br

rockcontent.com

orienteme.com.br

unimed.com.br

tst.jus.br

One thought on “Como está a saúde mental do seu colaborador?

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Dani

Dani

Assine nossa Newsletter

Receba novidades

Mais para explorar

Deseja impulsionar o seu negócio?

Fale com a Pericoco

Informações

Acompanhe-nos

Trabalho remoto

Endereços para correspondência:

Agência Pericoco Núcleo São José do Rio Preto
Rua Bernardino de Campos, 3125 – Centro

Agência Pericoco Núcleo São Paulo
São Paulo: Rua Castro Alves, 442 – Aclimação

Vamos conversar

Saiba como ajudamos mais de 50 empresas a obter sucesso.