fbpx

Eterno aprendiz: empresa e colaboradores no continue learning

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email

Recentemente, Tânia Cosentino, presidente da Microsoft no Brasil, publicou em sem LinkedIn: “Na minha contratação, não perguntaram o que eu sabia, mas o quanto estava disposta a aprender”. 

A empresa está em sintonia com o conceito de “continue learning”, ou “lifelong learning”, ou seja, aprendizado contínuo, atitude cada vez mais valorizada pelas empresas. 

Esta competência já era desejada pelos recrutadores, porém, a pandemia catalisou este processo. Como as transformações estão acontecendo de forma muito mais rápida, os bons colaboradores estão buscando acompanhar este processo, o que coloca à prova as habilidades de aprendizado de cada um. 

E mais: quem contrata sabe que quanto mais um profissional aprende ao longo da carreira, mais capaz será de se adaptar às mudanças do novo mercado de trabalho, que exige flexibilidade e capacidade de encontrar soluções para novos problemas. É como o milho que, com o calor do fogo vira pipoca, é um upgrade! 

Mas o que é este conceito?

Conheça os 4 pilares do aprendizado contínuo

De acordo com a organização Lifelong Learning Council Queensland (LLCQ), o aprendizado contínuo requer quatro fatores:

1 – Aprender a conhecer: é preciso que o colaborador retenha o conhecimento. Para isso é fundamental que ele tenha prazer em aprender, assim, além de exercitar a memória, ele ganha bagagem em conhecimento;

2 – Aprender a fazer: a melhor forma de aprender a fazer é “colocar a mão na massa”. Por isso é preciso que o colaborador, depois de aprender, coloque em prática os novos conhecimentos até que isso se torne um hábito;

3 – Aprender a conviver: habilidade importantíssima, uma vez que o trabalho está cada vez mais horizontal, ou seja, estamos aprendendo muito mais uns com os outros;

4 – Aprender a ser: ter autonomia para aprender coisas novas dá mais autoconfiança e o colaborador percebe o valor que tem junto à comunidade. 

E como implementar o Continue Learning na carreira?

Existem duas possibilidades e o ideal é que o profissional as combine para o seu desenvolvimento profissional.

A primeira é buscar aprendizados por conta própria. Hoje o que não faltam são cursos, podcasts, livros, webinars com conteúdos de ótima qualidade, gratuitos ou pagos. 

A segunda é participar de cursos de qualificação profissional oferecidos pelas empresas. Muitas já perceberam os benefícios do aprendizado contínuo que a prática tem para os colaboradores. Além de melhorar sua performance, eles sentem-se reconhecidos e estimulados a produzir melhor. 

E como fazer com que seus colaboradores continuem aprendendo?

Em seu livro, Drive, o autor Dan Pink diz que as pessoas precisam de três coisas para se sentirem motivadas e satisfeitas: autonomia, domínio e propósito. Tornar-se um lifelong learner satisfaz essas três necessidades psicológicas.

Em um mundo perfeito todos teriam interesse espontâneo em aprender. Mas as pessoas são diferentes e algumas precisam de um “fogo alto”. Então aqui vão algumas dicas:

– Procure saber quais as áreas em que seus colaboradores têm mais interesse e invista nesses conteúdos;

– Periodicamente, convide profissionais para palestras ao vivo sobre motivação, trabalho e desenvolvimento das soft skills, que são as habilidades pessoais de cada um;

– Informe seus colaboradores sobre quais os aprendizados são desejáveis para a melhoria das tarefas e, se possível, informe-os sobre onde e como buscar este aprendizado;

– Estimule sua equipe a buscar conhecimento dando exemplos práticos de como o aprendizado de determinado conteúdo ajudou a melhorar a execução das tarefas. 

Hard skills X soft skills

Quando falamos em aprendizado contínuo é preciso lembrar que não se trata apenas de “hard skills” ou seja, as habilidades técnicas que podem ser aprendidas; também é preciso ajudar a equipe a desenvolver as soft skills, como explicado anteriormente, que são igualmente importantes! 

Entre os exemplos de soft skills estão: relacionamento interpessoal, inteligência emocional, empatia, gentileza, facilidade de comunicação, entre outras. 

Já está convencido?

Ótimo! Então comece agora mesmo a pensar em um plano de ação para incentivar seus colaboradores a continuar aprendendo. E se você for um colaborador, ganhará muito mais que pontos com sua liderança: irá conquistar aprendizado de vida! 

Depois já dá para comer muita pipoca assistindo sua série favorita e com a sensação do dever cumprido!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Assine nossa Newsletter

Receba novidades

Mais para explorar

Programação Cultural

Reconstruindo heróis e heroínas

Recentemente, estreou na Netflix (provedora de filmes e seriados via streaming), a série de ação “Luke Cage”, adaptação dos quadrinhos do herói homônimo. Cage é

e-Books

e-Book 20 Otimizações em Facebook Ads

Melhorando suas campanhas no Facebook Neste eBook, focado principalmente no Facebook Ads, traremos algumas dicas intermediárias e avançadas para você criar suas campanhas (ou otimizar

Deseja impulsionar o seu negócio?

Fale com a Pericoco

Vamos conversar

Saiba como ajudamos mais de 50 empresas a obter sucesso.